Wir verwenden Cookies, um die Benutzerfreundlichkeit dieser Webseite zu erhöhen (mehr Informationen).

Prof. Dr. Werner Gitt

Como Che gar ao Céu?

Die grundlegende Frage, die suchende Menschen sich stellen, wird hier von Prof. Dr. Werner Gitt beantwortet. "Wie findet man den Himmel?" Auf jeden Fall nicht durch eigene Anstrengungen oder Konzepte. "Was aber bringt uns wirklich in den Himmel?" Gott hat die Einladungen für den Himmel schon verteilt wie im Gleichnis des Menschen, der zu einem großen Fest Einladungen verschickte. Doch viele Menschen redeten sich heraus.

Prof. Dr. Gitt ruft dazu auf, nicht so "kurzsichtig" wie diese Leute zu sein. Jesus will uns vor der Hölle erretten und diese wird kein Vergleich zu der sogenannten "Hölle von Auschwitz" sein. Er hat am Kreuz für unsere Schuld bezahlt, wir müssen diese Einladung nur annehmen, dann ist ein Platz im Himmel "gebucht". Ein Entscheidungsgebet soll den Lesern dabei helfen.

Dieses Traktat eignet sich besonders gut zur Weitergabe an suchende Menschen!

Quickling zu diesem Artikel: https://wernergitt.de/ceu

8 Seiten, Best.-Nr. 120-10, Kosten- und Verteilhinweise | Eindruck einer Kontaktadresse



 Como Che­gar ao Céu?

Muitas pes­soas evi­tam pen­sar so­bre a eter­ni­dade. Isso ocorre até com as que re­fle­tem a res­peito da morte. A eterni­dade é um as­sunto que cos­tuma ser colo­cado de lado. Quando cri­ança, a atriz ameri­cana Drew Barry­more re­pre­sen­tou um dos pa­péis prin­ci­pais no filme “E.T. – O Ex­tra-Ter­res­tre”. Com 28 anos (Drew nas­ceu em 1975) ela de­cla­rou: “Se eu mor­rer an­tes do meu gato, dêem-lhe mi­nhas cin­zas para co­mer. As­sim, pelo me­nos vou conti­nuar vi­vendo atra­vés dele”. A in­ge­nui­dade e ig­no­rân­cia a res­peito da morte re­al­mente são as­susta­do­ras!

No tempo de Je­sus muitas pes­soas vi­nham a EIe, e quase sem­pre suas pre­o­cu­pa­ções eram de ca­rá­ter ter­reno:

  • Dez le­pro­sos que­riam ser cu­ra­dos (Lc 17.13).
  • Ce­gos que­riam vol­tar a en­xer­gar (Mt 9.27).
  • Al­guém pre­ci­sava de ajuda numa ques­tão de he­rança (Lc 12.13-14).
  • Os fa­ri­seus vi­e­ram per­gun­tar se de­viam ou não pa­gar im­pos­tos ao im­pe­ra­dor (Mt 22.17).

Pou­cas pes­soas fo­ram fa­lar com Je­sus para sa­ber como ir para o céu. Um jo­vem rico pro­cu­rou-O per­gun­tando: “Bom Mes­tre, que fa­rei para her­dar a vida eterna?” (Lc 18.18). Je­sus disse o que eIe de­ve­ria fa­zer: ven­der tudo o que ti­nha e se­gui-Lo. Como o jo­vem era muito rico, não aten­deu ao con­se­lho de Je­sus e per­deu a chance de en­trar no céu. Tam­bém ha­via pes­soas que nem esta­vam à pro­cura do céu mas, ao te­rem um encon­tro com Je­sus, apren­de­ram acerca da vida eterna e ime­di­a­ta­mente apro­veita­ram a oportu­ni­dade.

Za­queu an­si­ava ape­nas ver Je­sus, mas ob­teve mu­ito mais do que es­pe­rava. No fi­nal da vi­sita do Se­n­hor à sua casa, Za­queu en­con­trou o ca­mi­nho para o céu. Je­sus afir­mou: “Hoje, houve sal­va­ção nesta casa, pois que tam­bém este é fi­lho de Abraão” (Lc 19.9).

Como al­can­ça­mos o céu?

De­pois do que vi­mos, po­de­mos afir­mar:

  •  Al­cança-se o reino do céu num dia de­ter­mi­nado. É bom sa­ber disso, pois você, pre­zado lei­tor, tam­bém pode re­ce­ber hoje a vida eterna junto a Deus.
  •  Ga­nhar o céu não tem rela­ção al­guma com qual­quer mé­rito pes­soal.
  •  O reino dos céus pode ser al­can­çado sem pre­paro pré­vio.

Quando não es­tão ba­sea­das no que Deus diz, nos­sas pró­prias idéias so­bre como che­gar ao céu são ab­so­lu­ta­mente fal­sas. Veja es­tes exem­plos de con­ceitos er­ra­dos: em uma de suas can­ções, uma in­tér­prete da mú­sica po­pu­lar alemã fez re­fe­rên­cia à histó­ria de um pa­lhaço que ti­nha dei­xado o circo após muitos anos de tra­ba­lho: “Com cer­teza ele vai en­trar no céu por­que trouxe ale­gria para muitas pes­soas”, di­zia a le­tra. Uma se­nhora no­bre e muito rica man­dou cons­truir um abrigo onde vinte mulhe­res po­bres po­diam vi­ver gratui­ta­mente. Mas ela im­pôs uma con­di­ção: que es­sas mu­lhe­res re­zas­sem pela sal­va­ção da sua alma uma hora por dia.

O que re­al­mente nos leva para o céu?

Para res­pon­der essa per­gunta de ma­neira clara e pre­cisa, Je­sus nos contou uma pa­rá­bola. No Evan­ge­lho de Lu­cas (14.16), EIe fala de um ho­mem [sim­boli­zando Deus] que pre­pa­rou uma grande festa [sim­bo­li­zando o céu] e man­dou con­vi­dar muitas pes­soas. As des­cul­pas fo­ram frus­tran­tes: “to­dos... co­me­ça­ram a es­cu­sar-se. Disse o pri­meiro: Com­prei um campo e pre­ciso ir vê-Io... Ou­tro disse: Com­prei cinco juntas de bois... E ou­tro disse: Ca­sei-me e, por isso, não posso ir.” Je­sus en­cer­rou a pa­rá­bola com a sen­tença do an­fi­trião: “Por­que vos de­claro que ne­nhum da­que­les ho­mens que fo­ram con­vi­da­dos pro­vará a mi­nha ceia” (Lc 14.24).

Esse exem­plo mostra que é pos­si­vel ga­nhar o céu ou perdê-Io. O que de­cide a ques­tão é aceitar ou re­jei­tar o con­vite. Po­de­ria existir uma ma­neira mais fá­cil? Certamente não! Muitas pes­soas fi­ca­rão fora do céu não por não te­rem co­nhe­cido o ca­mi­nho que leva até lá, mas por te­rem re­jei­tado o con­vite que Deus lhes fez.

Não de­ve­mos se­guir o exemplo dos três con­vi­da­dos da pa­rá­bola, que de­ram des­cul­pas para não com­pa­re­cer à festa! Ela dei­xou de ser re­ali­zada por causa disso? É claro que não! De­pois de ou­vir as re­cu­sas de seus con­vi­da­dos de honra, o dono da casa man­dou con­vi­tes para to­dos. Dessa vez os con­vi­tes não fo­ram so­fis­ti­ca­dos. Os no­vos con­vi­da­dos ou­vi­ram uma con­vo­ca­ção sin­gela: “Ve­nham!” To­dos que aceita­ram o con­vite ti­ve­ram lu­gar ga­ran­tido na festa. E o que aconte­ceu? Os con­vi­da­dos apa­re­ce­ram? Sim, as pes­soas vie­ram em massa! Após al­gum tempo, o dono da casa fi­cou sa­bendo que ainda ha­via lu­ga­res va­zios. En­tão ele disse a seu servo: “Saia no­va­mente! Conti­nue a con­vi­dar!”

Va­mos com­pa­rar essa pa­rá­bola à nossa vida, pois ela tem muitos pa­rale­los com a si­tua­ção em que vi­ve­mos. Ainda há lu­ga­res va­zios no céu, e Deus diz a você: “Ve­nha, e tome o seu lu­gar no céu! Seja sá­bio. Faça sua re­serva para a eter­ni­dade. Faça-a ainda hoje!”

O céu é de uma be­leza inimaginável. Por isso, o Se­nhor Je­sus com­para-o com uma festa. A Pri­meira Carta aos Co­rín­tios (2.9) diz: “Nem olhos vi­ram, nem ou­vi­dos ouvi­ram, nem ja­mais pe­ne­trou em co­ra­ção hu­mano o que Deus tem pre­pa­rado para aque­les que o amam.” Não há nada, ab­so­luta­mente nada nesta terra, que possa ser com­pa­rado ao céu, ta­ma­nha é sua be­leza! De ma­neira al­guma de­ve­mos per­der a chance de ir para o céu, pois eIe é pre­cioso de­mais! Al­guém nos abriu a porta: foi Je­sus, o Fi­lho de Deus! É gra­ças a EIe que te­mos acesso à eter­ni­dade. Agora a de­ci­são é nossa. Só quem for ig­no­rante como os ho­mens da pa­rá­bola dei­xará de acei­tar o con­vite.

A sal­va­ção acontece  atra­vés do Senhor Jesus

Em Atos 2.21 le­mos algo muito im­por­tante: “E aconte­cerá que todo aquele que in­vo­car o nome do Se­nhor será salvo.” Essa é a ver­dade su­prema do Novo Testamento. Quando es­tava na pri­são em Fi­li­pos, Paulo re­su­miu o es­sen­cial nas pou­cas pa­la­vras que fa­lou ao car­ce­reiro: “Crê no Se­nhor Je­sus Cristo e se­rás salvo, tu e tua casa” (At 16.31). Essa mensa­gem é curta mas tem po­der de­ci­sivo e trans­for­ma­dor para quem a aceita. Na­quela mesma noite o car­ce­reiro se con­ver­teu.

Do que Je­sus nos salva? Pre­ci­sa­mos sa­ber que Je­sus nos salva do ca­mi­nho que acaba na per­di­ção eterna, no in­ferno. A Bí­blia diz que os ho­mens vi­ve­rão eter­na­mente – ou no céu, ou no in­ferno. Um des­ses lu­ga­res é ma­ra­vi­lhoso, o ou­tro é hor­rí­vel. Não existe um ter­ceiro lu­gar. Após a morte, nin­guém mais dirá que tudo aca­bou quando fe­chou seus olhos aqui na terra. Nosso des­tino eterno é de­ci­dido pela nossa ati­tude di­ante de Je­sus. A nossa eter­ni­dade de­pende de uma só pes­soa, Je­sus Cristo – e do nosso rela­cio­na­mento com EIe!

Inferno de verdade

Por oca­sião de uma vi­a­gem de con­fe­rên­cias pela Polô­nia vi­si­ta­mos o campo de con­cen­tra­ção de Au­­s­ch­witz. Astrocidades terríveis ocor, reram du­rante o Ter­ceiro Império da Alemanha Nazista naquela local. En­tre 1942 e 1944 mais de 1,6 mi­lhões de pes­soas, na maio­ria ju­deus, fo­ram as­sas­si­na­das e in­ci­ne­ra­das nas suas câ­ma­ras de gás. A lite­ra­tura fala do “In­ferno de Ausch­witz”. Fi­quei pen­sando so­bre essa ex­pres­são quando os guias nos mostra­ram uma das câ­ma­ras de gás onde mor­riam 600 pes­soas a cada vez. Aus­ch­witz foi um hor­ror in­con­ce­bí­vel. Mas será que ali já era o in­ferno?

Nosso grupo de vi­si­tantes viu so­mente a câ­mara de gás va­zia, agora fora de uso, pois fe­liz­mente o ter­ror de Ausch­witz aca­bou em 1945. Hoje o lo­cal é aberto à vi­sita­ção pú­blica. As câ­ma­ras de gás de Aus­ch­witz ti­nham ca­rá­ter tem­po­rá­rio. O in­ferno da Bí­blia é eterno.

No hall de en­trada do mu­seu de Ausch­witz um de­se­nho mos­trando uma cruz com o corpo de Cristo cha­mou mi­nha aten­ção. Com um prego, um dos pri­sio­nei­ros ha­via riscado na pa­rede sua mensa­gem de es­pe­rança no Je­sus cru­ci­fi­cado. Esse ar­tista anônimo tam­bém mor­reu na câ­mara de gás. EIe co­nhe­cia o Sal­va­dor Je­sus. O lu­gar onde ele mor­reu era hor­rí­vel, mas o céu es­tava aberto es­pe­rando-o. Quando al­guém ti­ver che­gado ao in­ferno, a res­peito do qual o Se­nhor Je­sus ad­verte tão in­sis­tente­mente no Novo Testa­mento (Mt 7.13; Mt 5.29-30; Mt 18.8), não ha­verá chance de es­ca­par. Como o in­ferno é eterno – ao con­trá­rio de Ausch­witz – nunca te­re­mos a pos­si­bi­li­dade de vi­sitá-Io como se vi­sita um lu­gar tu­rís­tico, en­trando e sa­indo quando qui­ser­mos. O in­ferno é para sem­pre.

Mas o céu tam­bém é eterno. É para esse lu­gar que Deus quer nos le­var. Por isso, aceite o con­vite. In­vo­que o nome do Se­nhor e faça ainda hoje sua re­serva no céu! De­pois de uma pa­les­tra, uma agi­tada se­nhora me questi­o­nou: “Será que é mesmo pos­sí­vel fa­zer re­serva no céu? Isso pa­rece uma agên­cia de tu­rismo!” Eu con­cor­dei: “Quem não faz re­serva não chega lá. Se a se­nhora qui­ser ir ao Ha­vaí, tam­bém vai preci­sar de uma pas­sa­gem.” Ela re­tru­cou: “Mas é pre­ciso pa­gar a pas­sa­gem, não é?” – “Sim, é claro! A pas­sa­gem para o céu tam­bém é paga, com a di­fe­rença de que ne­nhum de nós tem con­di­ções de ar­car com seu preço. EIe é alto de­mais. Nosso pe­cado im­pede que che­gue­mos ao céu. Deus não ad­mite pe­cado no céu. Quem qui­ser pas­sar a eterni­dade com Deus pre­cisa ser li­berto do seu pe­cado en­quanto vive aqui na terra. Essa li­berta­ção só pode acon­te­cer atra­vés de al­guém sem pe­cado – e essa pes­soa é Je­sus Cristo. EIe é o único que pode pa­gar o preço. E EIe o pa­gou com Seu san­gue, atra­vés da Sua morte na cruz.” Agora, você deve es­tar se per­gun­tando:

O que devo fazer para entrar no céu?

Deus es­tende o con­vite de sal­va­ção a to­dos. Muitas pas­sa­gens da Bí­blia nos convidam com in­sis­tên­cia a obe­de­cer ao cha­mado de Deus:

  • “Es­for­çai-vos por en­trar pela porta es­treita” (Lc 13.24).
  • “Arre­pen­dei-vos, por­que está pró­ximo o reino dos céus” (Mt 4.17).
  • “En­trai pela porta es­treita (larga é a porta, e es­pa­çoso, o ca­mi­nho que con­duz para a per­di­ção, e são muitos os que en­tram por ela), por­que es­treita é a porta, e aper­tado, o ca­mi­nho que con­duz para a vida, e são pou­cos os que acer­tam com ela” (Mt 7.13-14).
  • “Toma posse da vida eterna, para a qual tam­bém foste cha­mado” (1 Tm 6.12).
  • “Crê no Se­nhor Je­sus e se­rás salvo, tu e a tua casa” (At 16.31).

Es­ses são con­vi­tes in­sis­tentes. Os textos bí­bli­cos são sé­rios e de­termi­na­dos. Agi­mos com coe­rên­cia quando res­pon­de­mos ao con­vite de ir para o céu com uma ora­ção mais ou me­nos como esta:

“Se­nhor Je­sus, aca­bei de ler que só posso che­gar ao céu atra­vés de Ti. Quero es­tar con­tigo no céu. Por isso, salva-me do in­ferno, que eu me­reço por causa de to­dos os pe­ca­dos que co­meti. Sei que me amas, que mor­reste na cruz por mim e pa­gaste pe­los meus pe­ca­dos. Tu co­nhe­ces to­dos os meus pe­ca­dos – desde a mi­nha in­fân­cia. Co­nhe­ces to­dos os que lem­bro e os que já es­queci. Sa­bes o que move o meu co­ra­ção. Sou como um li­vro aberto di­ante de Ti. As­sim como sou, não posso en­trar no céu. Peço-te: per­doa meus pe­ca­dos. Do fundo do meu co­ra­ção, la­mento por tudo de er­rado que fiz na vida. En­tra em meu co­ra­ção, res­t­aura mi­nha vida e re­nova-me com­ple­ta­mente. Dá-me for­ças para dei­xar tudo o que não é certo e trans­forma meu modo de vi­ver. Ajuda-me a en­ten­der a Tua Pa­la­vra, a Bí­blia. Faze-me com­pre­en­der o que que­res me fa­lar e dá-me um co­ra­ção obe­di­ente para que eu faça o que Te agrada. De agora em di­ante, se­rás o meu SENHOR. Quero Te se­guir. Mostra-me o que devo fa­zer em to­das as áreas da mi­nha vida. Agra­deço por ou­vi­res e aten­de­res mi­nha ora­ção. Agra­deço por ser Teu e pela cer­teza de um dia es­tar con­tigo no céu. Amém.”

Dir. e Prof.
Dr.-Eng. Werner Gitt